TST VAI MEDIAR NEGOCIAÇÕES ENTRE EMPREGADOS DA EBSERH E EMPRESA

20/09/2017 13:19
Maioria da categoria decidiu em assembleias aceitar proposta apresentada ontem, 19, pelo vice-presidente do TST, ministro Emmanoel Pereira, e suspendeu a greve para que o tribunal inicie processo de mediação nas negociações do ACT 2017/2018.
 
A Condsef/Fenadsef recebeu nessa quarta-feira, 20, resultado de assembleias onde a paralisação já estava em curso e/ou aprovadas como Maranhão, Piauí, em Minas – onde três unidades já haviam aderido ao movimento, Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Ceará, Rio Grande do Sul e Pernambuco. Alguns locais que estão com assembleia agendada, como é o caso do Distrito Federal, vão avaliar o movimento a partir do cenário atual. O resultado das assembleias será encaminhado formalmente agora a tarde ao TST.
 
Todos devem continuar mobilizados aguardando os desdobramentos do processo. Agora, o juiz auxiliar da Vice-Presidência do TST apresentará um cronograma de negociação até o dia 22, que vai compor um calendário de audiências. Assim, terá início um novo processo de negociação coordenado pelo TST num prazo de 30 dias, prorrogáveis por mais 30. Até lá, ficam assegurados os benefícios do ACT 2016/2017 para os trabalhadores. Ao final do prazo, caso não haja acordo, o dissídio coletivo será ajuizado.
 
Com a suspensão do movimento de greve, o TST garante ainda que não serão feitos descontos salariais de quem participou da paralisação de atividades até às 12 horas de quarta, 20. Serão suspensos também descontos de greve ocorridos ao longo desse ano, exceto os já realizados que serão objeto de negociação.
 
Foto: Secom TST
 
 
Foto: Secom TSTMaioria da categoria decidiu em assembleias aceitar proposta apresentada ontem, 19, pelo vice-presidente do TST, ministro Emmanoel Pereira, e suspendeu a greve para que o tribunal inicie processo de mediação nas negociações do ACT 2017/2018.
 
A Condsef/Fenadsef recebeu nessa quarta-feira, 20, resultado de assembleias onde a paralisação já estava em curso e/ou aprovadas como Maranhão, Piauí, em Minas – onde três unidades já haviam aderido ao movimento, Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Ceará, Rio Grande do Sul e Pernambuco. Alguns locais que estão com assembleia agendada, como é o caso do Distrito Federal, vão avaliar o movimento a partir do cenário atual. O resultado das assembleias será encaminhado formalmente agora a tarde ao TST.
 
Todos devem continuar mobilizados aguardando os desdobramentos do processo. Agora, o juiz auxiliar da Vice-Presidência do TST apresentará um cronograma de negociação até o dia 22, que vai compor um calendário de audiências. Assim, terá início um novo processo de negociação coordenado pelo TST num prazo de 30 dias, prorrogáveis por mais 30. Até lá, ficam assegurados os benefícios do ACT 2016/2017 para os trabalhadores. Ao final do prazo, caso não haja acordo, o dissídio coletivo será ajuizado.
 
Com a suspensão do movimento de greve, o TST garante ainda que não serão feitos descontos salariais de quem participou da paralisação de atividades até às 12 horas de quarta, 20. Serão suspensos também descontos de greve ocorridos ao longo desse ano, exceto os já realizados que serão objeto de negociação.
Foto: Secom TSTMaioria da categoria decidiu em assembleias aceitar proposta apresentada ontem, 19, pelo vice-presidente do TST, ministro Emmanoel Pereira, e suspendeu a greve para que o tribunal inicie processo de mediação nas negociações do ACT 2017/2018.
 
A Condsef/Fenadsef recebeu nessa quarta-feira, 20, resultado de assembleias onde a paralisação já estava em curso e/ou aprovadas como Maranhão, Piauí, em Minas – onde três unidades já haviam aderido ao movimento, Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Ceará, Rio Grande do Sul e Pernambuco. Alguns locais que estão com assembleia agendada, como é o caso do Distrito Federal, vão avaliar o movimento a partir do cenário atual. O resultado das assembleias será encaminhado formalmente agora a tarde ao TST.
 
Todos devem continuar mobilizados aguardando os desdobramentos do processo. Agora, o juiz auxiliar da Vice-Presidência do TST apresentará um cronograma de negociação até o dia 22, que vai compor um calendário de audiências. Assim, terá início um novo processo de negociação coordenado pelo TST num prazo de 30 dias, prorrogáveis por mais 30. Até lá, ficam assegurados os benefícios do ACT 2016/2017 para os trabalhadores. Ao final do prazo, caso não haja acordo, o dissídio coletivo será ajuizado.
 
Com a suspensão do movimento de greve, o TST garante ainda que não serão feitos descontos salariais de quem participou da paralisação de atividades até às 12 horas de quarta, 20. Serão suspensos também descontos de greve ocorridos ao longo desse ano, exceto os já realizados que serão objeto de negociação.
Foto: Secom TSTMaioria da categoria decidiu em assembleias aceitar proposta apresentada ontem, 19, pelo vice-presidente do TST, ministro Emmanoel Pereira, e suspendeu a greve para que o tribunal inicie processo de mediação nas negociações do ACT 2017/2018.
 
A Condsef/Fenadsef recebeu nessa quarta-feira, 20, resultado de assembleias onde a paralisação já estava em curso e/ou aprovadas como Maranhão, Piauí, em Minas – onde três unidades já haviam aderido ao movimento, Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Ceará, Rio Grande do Sul e Pernambuco. Alguns locais que estão com assembleia agendada, como é o caso do Distrito Federal, vão avaliar o movimento a partir do cenário atual. O resultado das assembleias será encaminhado formalmente agora a tarde ao TST.
 
Todos devem continuar mobilizados aguardando os desdobramentos do processo. Agora, o juiz auxiliar da Vice-Presidência do TST apresentará um cronograma de negociação até o dia 22, que vai compor um calendário de audiências. Assim, terá início um novo processo de negociação coordenado pelo TST num prazo de 30 dias, prorrogáveis por mais 30. Até lá, ficam assegurados os benefícios do ACT 2016/2017 para os trabalhadores. Ao final do prazo, caso não haja acordo, o dissídio coletivo será ajuizado.
 
Com a suspensão do movimento de greve, o TST garante ainda que não serão feitos descontos salariais de quem participou da paralisação de atividades até às 12 horas de quarta, 20. Serão suspensos também descontos de greve ocorridos ao longo desse ano, exceto os já realizados que serão objeto de negociação.
Foto: Secom TST