TRABALHADORES DA EBSERH MARCAM DIA DE LUTA PARA 1º DE MARÇO

19/02/2021 17:29

Sindsep-PE

Os trabalhadores da Ebserh de todo Brasil irão promover um dia nacional de luta no próximo dia 1º de março, data base da categoria. O dia vai ser marcado por atividades que incluem atos, reuniões e muito debate em torno dos entraves do processo de negociações do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2020/2021. 

Neste mês de fevereiro, as negociações em torno do ACT está fazendo aniversário de um ano sem nenhum avanço. Elas tiveram início em fevereiro de 2020, foram paralisadas um mês depois devido à pandemia do novo coronavírus e retomadas no último mês de outubro, de forma virtual. Mas a Ebserh só apresentou como propostas a retirada de direitos. Além disso, negam  a reposição inflacionária dos salários. 

Diante do impasse, os empregados da estatal resolveram solicitar a mediação do Tribunal Superior do Trabalho (TST), repetindo o que aconteceu nos últimos nove anos, que demonstra a incapacidade da estatal em negociar com seus trabalhadores.  

Além de afirmar que não irá conceder qualquer reajuste, a Ebserh está propondo a redução da remuneração de todos os empregados. Essa redução chega disfarçada de uma mudança na base de cálculo do adicional de insalubridade para o salário mínimo. A alteração dessa base de cálculo pode impactar em uma diminuição de até 27% da remuneração de vários trabalhadores. 

Para não conceder a reposição salarial, a estatal está alegando que estaria impossibilitada por causa dos efeitos da Lei Complementar 173/20 que prevê congelamento salarial de servidores até dezembro de 2021. No entanto, a data base dos empregados da Ebserh é no mês de março e a Lei 173 foi aprovada depois dela. Ou seja, essa Lei não valeria para este acordo por não existir efeito retroativo. 

A Condsef/Fenadsef está atenta e acompanhando a negociação no TST.  "Após 11 reuniões de negociação, o impasse permanece. A missão agora é informar a sociedade o que o governo está fazendo com os trabalhadores dos hospitais universitários do País, que estão na linha de frente do combate a Covid-19, e prepara-lá para compreender uma possível paralização nacional destes profissionais", comentou a diretora do Sindsep e trabalhadora da Ebserh, Gislaine Fernandes. 

Pernambuco

Em Pernambuco a situação dos empregados da Ebserh se agrava. Isso porque os trabalhadores do Hospital das Clínicas não estão sendo priorizados na vacinação. Até o momento o número de profissionais vacinados é mínimo e isso tem revoltado ainda mais a categoria. Uma vez que o hospital é referência no nordeste para diversas especialidades, além de ter uma ala específica para atender os casos de Covid-19 e ter prontamente disponibilizado leitos para receber pacientes de Covid oriundos de Manaus, no momento do caos sanitário que houve por irresponsabilidade do Governo Federal. 

Mais mortes 

O número de profissionais da área de saúde mortos pela Covid-19 voltou a crescer em janeiro depois de cinco meses em queda. No primeiro mês de 2021 foram registradas 47 mortes de enfermeiros e enfermeiras por Covid-19 contra 9 em dezembro, um crescimento de 422%. 

Representantes dos profissionais de enfermagem apontam a sobrecarga de trabalho, provocada pela nova onda da pandemia, como principal causa das mortes. As festas de fim de ano, as aglomerações e o não cumprimento de diversas orientações de cuidados para evitar a proliferação da Covid-19 impactaram no aumento de casos.