SINDSEP-MS PARTICIPA DO SEMINÁRIO DE PLANEJAMENTO DA CONDSEF/FENADSEF

23/05/2017 15:55

 

A Condsef/Fenadsef realizou em Brasília, de 19 a 21 de maio, o planejamento da atuação sindical dos trabalhadores públicos federais no triênio 2017-2020. O Seminário contou com a participação dos membros da Direção Nacional, do Conselho Fiscal, dos Departamentos e de entidades filiadas de todo o país. O diretor do Sindsep-MS Adilson dos Santos, que também compõe o Conselho Fiscal da Condsef/Fenadsef, participou representando Mato Grosso do Sul.

O Seminário contou também com a presença da direção nacional da CUT através da vice-presidente Carmem Foro e do diretor Ismael Cesar, além da Deputada Federal Érica Kokay (PT-DF).

 

A conjuntura

O evento ocorreu no momento em que o país passa por forte tensões políticas. A divulgação de gravações de conversas secretas entre Michel Temer (PMDB) e o empresário Joesley Batista dono da JBS indica a prática de crimes pelo presidente e forte apelo por sua renúncia.

De acordo com Erica Kokay e Carmem Foro o país sob o governo de Temer vive uma forte ofensiva para supressão de direitos dos trabalhadores e de políticas sociais voltadas para a parcela mais pobre da sociedade. Essas medidas visam também garantir que fundos públicos sejam revertidos para os rentistas através do sistema da dívida pública e dos perdões e isenções aos empresários e mais ricos.

O secretário-geral Sergio Ronaldo destacou que nesse cenário, especialmente com a aprovação da PEC 55/16 (EC 95), é praticamente nula a possibilidade de negociação e melhoria salarial no serviço público, além da piora das condições de trabalho. Por isso a prioridade do momento é enfrentar o governo ilegítimo de Temer e restabelecer a democracia com eleições diretas, barrando a agenda de retirada de direitos.

 

Planejamento

O cenário preocupante já havia sido delineado pelo 12 Congresso da Condsef. O plano de lutas aprovado no Congresso foi detalhado com as ações necessárias para colocar em prática. Foram detalhadas as ações por secretarias e pelos departamentos.

Agora o trabalho será sistematizado e submetido ao Conselho Deliberativo de Entidades (CDE), para eleger as prioridades.

A Condsef/Fenadsef e as filiadas participarão de mais uma grande mobilização da classe trabalhadora contra as reformas trabalhista e da previdência social. E também por eleição direta para presidência da República, único caminho para tentar barrar a agenda neoliberal ilegítima em curso.