PRESIDENTE DA FUNAI OUVE DEMANDAS ESPECÍFICAS DOS SERVIDORES E CONFIRMA NOVA REUNIÃO PARA 2ª QUINZENA DE ABRIL

31/03/2015 09:52

A Condsef, o Sindsep-DF e a associação dos servidores da Funai foram recebidos nessa segunda-feira pelo presidente do órgão, Flávio Chiarelli. Na pauta uma série de demandas específicas da categoria como problemas ligados a assédio moral, injustiças relacionadas a processos administrativos (PAD´s), além da busca de apoio para implantação de um plano de carreira indigenista. Chiarelli já havia se comprometido a buscar instrumentos para combater e inibir o assédio moral na Funai. Sobre os PAD´s, o presidente informou que a corregedoria tem atuado com autonomia na instalação dos processos e se comprometeu a solicitar uma análise dos conteúdos dos processos realizados nos últimos anos.

Hoje, a Funai é um dos órgãos que mais tem demitido servidores, para as entidades muitos PAD´s tem resultado em demissões injustas e que é urgente promover a análise desses conteúdos para que arbitrariedades não ocorram. A reunião de hoje abordou ainda a busca pela aprovação de um plano de carreira indigenista. Essas e outras pautas precisam ser aprofundadas. Para isso, outra reunião com Chiarelli deve ocorrer na segunda quinzena de abril.

Ao abordar o plano de carreira indigenista, as entidades promoveram um resgate histórico do tema. Há mais de dez anos a categoria luta pela implantação desse plano. O presidente sugeriu criar uma comissão com representantes das entidades sindicais e da Funai para debater o tema em profundidade. O objetivo é reunir propostas já existentes e buscar consensos na consolidação de uma proposta.

Essa comissão paritária teria um prazo de até 90 dias para promover esses ajustes e buscar consensos para encaminhar uma proposta ao Ministério do Planejamento e defender uma previsibilidade orçamentária para 2016 para a viabilização do plano. Chiarelli concorda que o plano indigenista é importante para auxiliar na recuperação da força de trabalho na Funai e que este é um momento fundamental para que essa proposta volte a ser debatida.

As entidades consideram positivo o encontro que possibilitou a abertura de um mecanismo de diálogo permanente que há muito tempo era necessário. A expectativa é de que os diálogos sigam avançando e que a próxima reunião com o presidente em abril volte a abordar temas de relevância para a categoria como condições de trabalho, projeto que trata da demarcação de terras indígenas e outros.

A categoria deve permanecer atenta. Essas e outras informações de interesse dos setores da base da Condsef seguem sendo divulgadas aqui em nossa página.

Fonte: Condsef