Manifestação dos professores conta com apoio do Sindsep/MS

22/09/2016 20:05

A grande mobilização que aconteceu hoje (22) pela manhã no centro de Campo Grande foi encabeçada pela ACP (Sindicato Campo-Grandense dos Profissionais da educação) e contou com o apoio do Sindsep/MS. Além de diretores, servidores da base do sindicato, compareceram ao ato mais de oito entidades, entre elas o Sinpol, Sinsap, Sindicário, Fetems, Adufms, Fetricom, Dieese.

A passeata, que reuniu mais de duas mil pessoas, foi contra a retirada de direito dos trabalhadores e servidores públicos inseridas na PLP 257 e PEC 241. A primeira, que permite a renegociação das dívidas dos estados, com cortes drásticos no orçamento, barra investimentos na saúde, educação e infraestrutura. A segunda,  que deve ser votada ainda esta semana, prevê a limitação dos gastos públicos, congelando os investimentos em todos os setores, como a abertura de novos concursos, aumento de vagas em escolas, etc., por um período de 20 anos.

“Essa manifestação acontece em todo o Brasil e mostra a insatisfação do conjunto do funcionalismo público com as medidas que o Governo Temer está implantando sem consultar ninguém”, explica o diretor do Sindsep/MS, João Nascimento, que falou na tribuna, junto com outros líderes sindicais.

Para o presidente da ACP, Lucílio Nobre, a renegociação da dívida dos estados é uma necessidade, mas que a fatura não recaia nas costas dos trabalhadores. “Vão tirar investimentos da educação, da segurança pública, da saúda para pagar a dívida, mas que dívida é essa? É como se os trabalhadores fossem os responsáveis por ela, pelo rombo da Seguridade social. Sabemos que só em sonegação de impostos foram perdidos 300 bilhões. É isso que precisa ser revisto”, lembra.

Também participaram da manifestação os diretores Jorge Guimarães, Joel Lima de França e Theodoro de Almeida .

Fonte: Sindsep/MS