COMUNICADO PARA A POPULAÇÃO USUÁRIA DOS HOSPITAIS UNIVERSITÁRIOS – HUMAP E UFGD

04/06/2018 10:39

O SINDICATO DOS SERVIDORES PÚBLICOS FEDERAIS – SINDSEP/MS, inscrito no CNPJ sob o n.º 37.225.760/0001-07, Carta Sindical n. 35740.003133/92-03, com sede em Campo grande MS, por seu Secretário Geral, com fundamento nas prerrogativas constitucionais prevista no artigo 9º da CF/88 e no art. 3º da Lei 7.783/99, tendo em vista a frustração do processo negocial com a Ebserh - Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, nos termos do art. 27, alínea A do Estatuto do Sindsep - MS, informa à população usuária do Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian – HUMAP de Campo Grande e Hospital Universitário da Universidade Federal da Grande Dourados - HU-UFGD, que a partir do dia 05 de junho, os empregados da Ebserh em todo o Brasil vão paralisar atividades por tempo indeterminado.

Informamos que esta decisão coletiva decorre da frustação do processo negocial com a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) e se alinha com as recomendações que a Plenária Nacional de Empregados da Ebserh, realizada em 26/05/2018, emanou a todos os empregados/as.

Os empregados da Ebserh, através dos seus sindicatos, discutiram no final do ano de 2017 suas propostas para o ACT 2018/2019. Tais propostas foram sistematizadas em através do um Encontro Nacional e foram protocolizadas junto à direção da Empresa no dia 28/12/2017, pela Condsef/Fenadsef. Somente no dia 06/02/2018, mais de um mês após a formalização da proposta dos empregados, a direção da empresa se dispôs reunir-se para tratar do Acordo. Desde então foram realizadas outras reuniões culminando com apresentação de um índice econômico de reajuste 1,086% (60% da inflação do período medida pelo INPC) e condicionada a aceitar perdas em períodos anteriores.

Os trabalhadores em assembleia discutiram a proposta apresentada pela empresa no dia 17/05/2018, reformada e reapresentada no dia 25/05/2018, 85 dias após a data-base, e a rejeitaram por considerarem inaceitável que a Empresa sequer proponha a reposição das perdas inflacionárias aos seus salários e ainda condicione a oferta à renúncia de direitos. Agrava a situação que empresa veio a apresentar formalmente sua proposta após decorridos mais de quatro meses da apresentação da proposta dos empregados e mais de três meses da primeira reunião de negociação.

A presente comunicação também visa ao cumprimento dos requisitos formais que regem o movimento paredista, na forma da lei, assim como, informa-se que serão mantidos os serviços essenciais e inadiáveis à população.

 

Campo Grande/MS, 29 de maio de 2018.

 

Gilmar Gonçalves

Secretário Geral do SINDSEP/MS