Após audiência de conciliação no TST, empregados da Ebserh debatem em assembleias pontos ainda divergentes do ACT da categoria

12/08/2016 11:21

Para mediar impasses, TST apresentou proposta que será apreciada. Reajuste de 9% em salários e benefícios é um dos itens. Resposta da categoria será protocolada dia 16 de agosto

 

O ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Emmanoel Pereira, conduziu nesta quarta-feira, 10, audiência de conciliação entre empresa e empregados da Ebserh. O objetivo é tentar dissolver os impasses instalados no processo de negociações que envolvem o acordo coletivo de trabalho (ACT) da categoria. A categoria tem até o dia 15 de agosto para promover assembleias que vão discutir pontos ainda divergentes do ACT. No dia 16, o resultado dessas assembleias será protocolado junto ao TST. Um percentual de 9% de reajuste em salários e benefícios está entre os itens a serem analisados. Veja aqui a ata da audiência. Nesta quinta, 11, representantes do comando nacional de mobilização dos empregados da Ebserh e diretores da Condsef se reuniram na sede da entidade em Brasília para avaliar os resultados da audiência e apontar orientações para o movimento.

 

Um dos pontos observados pelos representantes da categoria está na tentativa da Ebserh de atribuir o que denominam “poder de império” ao Dest, do Ministério do Planejamento. Esta seria uma tática para dificultar alterações das propostas da empresa. Há ainda um entendimento de que a empresa está insistindo em alternativas que podem repercutir em divisão dos trabalhados e no enfraquecimento do movimento de greve e organização sindical da categoria. O ministro do TST ressaltou a importância da conciliação. Ao mesmo, disse entender as preocupações da empresa como gestora, mas explicitou o direito dos trabalhadores de serem consultados sobre propostas que afetam suas condições de trabalho.

 

Além do percentual de 9% em salários e benefícios, o TST listou outros itens que os empregados da Ebserh devem discutir em assembleias pelo País, entre eles: adoção de regime de 12x36 na forma proposta pela empresa; criação de um grupo de trabalho para debater previdência complementar, progressão funcional e gratificação de titulação; reposição dos dias parados; licença para acompanhar pessoa da família/consultas e exames. Os detalhes podem ser visto no relatório enviado pela Condsef às entidades filiadas com orientações do comando nacional de mobilização para realização de assembleias em todo Brasil.

 

Os resultados das assembleias devem ser enviados à Condsef até o dia 15 de agosto, próxima segunda. No dia 16, a entidade protocola a decisão da maioria no TST.

Fonte: Condsef